Tendências de emprego durante a pandemia

A pandemia do Covid-19 trouxe muitas alterações para o mundo do trabalho. As empresas tiveram de adaptar as suas equipas e as suas formas de trabalhar para que conseguir ultrapassar os novos desafios.  

A modernização tornou-se uma necessidade e o mercado de trabalho está agora a transformar-se. Por ser algo a que o mundo moderno nunca assistiu, qualquer tentativa de identificação do impacto será um exercício com um grande grau de incerteza. Mesmo assim, e com as devidas ressalvas, existem várias tendências e mudança que possivelmente se irão verificar: 

  • Saúde como prioridade: As empresas vão reforçar a importância dada às estratégias de bem-estar focadas na parte física, emocional, social e financeiro, sobretudo no que diz respeito à saúde mental dos colaboradores, com novas medidas de mitigação da ansiedade e do stress 
  • Dificuldades na mobilidade dos colaboradores: Com políticas de maior proteção dos funcionários, as empresas terão de adaptar também muitos procedimentos e protocolos seguidos até aos dias de hoje. Possivelmente, as viagens de negócios serão substituídas, na sua maioria, por conferências virtuais, o que poderá impulsionar uma nova evolução tecnológica.  
  • Economia (ainda) mais verde: O facto de em muitas áreas se ter de recomeçar a forma como as empresas vão operar, bem como o grande desenvolvimento tecnológico, a redução da mobilidade e o foco dos cidadãos em garantir o bem-estar, puxarão claramente para um mundo mais verde. 
  • Novas escolhas no trabalho: A valorização do emprego será mais forte e poderemos assistir a um regresso aos aspetos valorizados no mercado de trabalho antigamente, muito mais focados na segurança, ou seja, o balanço financeiro da empresa poderá contar mais do que o desafio do projeto. Para além disto, existem outros fatores que passarão a ser importantíssimos no momento da escolha de um novo emprego, como a capacidade tecnológica da organização, a forma como o trabalho remoto pode ser executado, a existência de políticas fortes que apostem no bem-estar e a continuação do acreditar nos valores da organização. 
  • Um mercado cada vez mais digital: Fatores como o aumento do streaming, o trabalho remoto, o aumento das comunicações com imagem, a industrialização mais digital e acima de tudo o aumento dos utilizadores regulares da rede será exponencial, o que exigirá um aumento do investimento por parte das empresas. 
  • Um novo paradigma no trabalho: a gestão da mão-de-obra continuará a tendência de ter uma força de trabalho mais flexível, especializada e gerida por projetos específicos. No que respeita à gestão de equipas, espera-se novas formas de comunicação mais regular e à distância, assim como a gestão de carreiras com base em projetos transversais, a gestão de colaboradores pelas suas competências e não pela sua função ou departamento, a facilidade de criar equipas diversificadas e a existência de uma nova liderança assente na gestão de grupos de pessoas em determinados momentos. 

Siga-nos e partilhe:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *